terça-feira, 30 de novembro de 2010

CAFÉ DE COADOR DE PANO




Apesar da última moda ser a cozinha molecular,  não abro mão da gastronomia de raiz que sem dúvida traduz a identidade de todo um povo. Já escrevi aqui sobre diversas tradições e cozinhas típicas, mas uma que continua me influenciando é a culinária mineira. Criativa e atual, sem dúvida representaria bem o Brasil em qualquer parte do mundo. Dona de um sabor inconfundível, mantém seus pratos tradicionais sempre em voga. Nós paulistas morremos de inveja da riqueza desta culinária e sempre que posso me apodero das fantásticas receitas. Um prato criado por mim e que batizei de Caldeirão Mineiro ao Curau Salgado, em virtude dos ingredientes, é um campeão de elogios nos lugares onde o confecciono. Mas hoje vou ensinar a fazer o famoso cafezinho mineiro.

CAFÉ DE COADOR DE PANO

Fique sabendo que a validade de um coador de pano é 30 dias se usado diariamente. Quando novo deve ser fervido para eliminar ceras e gomas que possam exister nele. Depois de usado, lave apenas com água.

Quanto ao preparo propriamente dito, use o método mais antido, qual seja, dissolver o pó do café na chaleira um pouco antes da água ebulir. Assim você evita queimar o café. Usa-se entre 5 e 6 colheres das de sopa para um litro de água. Após acrescentar o pó, mexer com uma colher de pau até formar uma espuma na superfície. Feito isso, passe o café pelo coador de pano. Sirva com sequilho, bolo de fubá, pão de queijo, broa, biscoito de polvilho, brevidade, queijo branco e meia cura, pão caseiro, e muitas outras delícias da cozinha das Minas Gerais, uai sô....

segunda-feira, 29 de novembro de 2010

VEGETARIANO PARA SEGUNDONA BRAVA

Foto :Cybercook

Não é muito difícil exagerar no fim de semana, largando regimes, dietas e principalmente a moderação nas comidas e bebidas. Mas nem tudo está perdido.Como toda segunda-feira milhares de gulosos iniciam suas dietas, que tal uma leve torta vegetariana? Vai bem, né? Nem só de carne vive o homem, e mulher também, assim sugiro abaixo uma iguaria a base de vegetais para variar o cardápio e principalmente para tirar o peso do exagero do final de semana.

TORTA DE TOMATE SECO COM RÚCULA

Ingredientes:

Para a Massa:

3 xícaras (chá) de farinha de trigo
3 xícaras (chá) de leite desnatado
1 xícara de margarina (eu uso manteiga mesmo, pois acho mais saudável)
1 colher (sopa) de fermento químico
3 ovos
sal a gosto

Para o Recheio:

1 maço de rúcula bem lavada
1 xícara (chá) de tomate seco
1 xícara (chá) de pupunha
1 xícara (chá) de azeitonas pretas sem caroços
1 xícara (chá) de cheiro verde picadinho

Queijo parmesão para polvilhar

Modo de Preparo:

Bata os ingredientes da mas no liquidificado e reserve por 15 imutos. Despeje então metade da massa em um refretário, distribua a rúcula, o tomate, as azeitonas e a pupunha. Polvilhe o cheiro verde e cubra com o restante da massa. Pré-aqueça o forno a 180°C por 15 minutos, polvilhe queijo parmesão e leve a forma ao forno por 20 minutos.

domingo, 28 de novembro de 2010

ALCACHOFRAS GRATINADAS


Ainda encontramos alachofras com preço bom, ou seja, por estarmos no fim da safra, é possível encontrá-las in natura. Fique sabendo que em cada 100 gramas desta planta encontramos consideráveis valores nutricionais de vitamina B, potácio, cálcio, fósforo, iodo, sódio, magnésio e ferro. Os efeitos medicinais também já foram comprovados. Por exemplo, a água do cozimento é um excelente diurético, estimulante da vesícula biliar e ativador da digestão. A seguir posto uma receita que também pode ser feita com alcachofras em conserva, mas como ainda estamos na safra dê preferência as frescas.

Fundo de Alcachofra Gratinada

Foto: Namesa
Ingredientes:

10 fundos de alcachofras cozidos
3 colheres (sopa) de manteiga
1/2 xícara (chá) de farinha de rosca
1 dente de alho picadinho
1 xícara (chá) de batata palha
1/2 xícara (chá) de queij parmesão ralado
1 colher (sopa) de salsa picadinha
Sal e pimenta a gosto
Óleo para untar

Modo de Preparo:

Em uma frigideira derreta a manteiga, doure o alho, junte a farinha e misture bem. Reserve até esfriar. Junte então a batata palha, o parmesão e a salsinha. Corrija o sal e a pimenta. Unte um refratário. Recheie os fundos de alcachfra com a mistura, cubra com batata palha e leve para gratinar em forno pré-aquecido a 180°C por 10 minutos.


sábado, 27 de novembro de 2010

PARIS X TÓQUIO


No ano passado, Tóquio ultrapassou Paris enquanto capital com mais restaurantes três estrelas Michelin e neste ano o Japão passou a França. Não temos alternativa, senão nos rendermos a gastronomia oriental, que segundo o maior site de restaurantes do Japão, o Gourmet Navigator Inc, o pequeno país insular possui mais de 500.000 restaurantes, sendo 160.000 só em Tóquio (Paris possui 15.000). Assim para eu não ficar fora da moda e seguir um destino com base no índice gastronômico mais respeitado do planeta, publico uma típica receita da capital dos simpáticos japinhas, o

YAKITORI

(espetinhos grelhados de frango)

Ingredientes:

2 peitos de frango
1 colher (sopa) de gengibre ralado
1 colher (sopa) de açúcar
1/3 de xícara (chá) de saque doce
2/3 de xícar (chá) de shoyu
1 dente de alho espremido
8 espetos de bambu

Modo de Preparo:

Coloque os espetos de molho na água por umas 6 horas. Em uma tigela, misture todos os ingredientes, a exceção do frango que deverá cortá-los em cubos. Espete o frango nos palitos e leve-os para marinar no molho preparado por 1/2 hora. Leve-os então a churrasqueira, pincelando-os com o molho da marinada por umas 2 ou 3 vezes.


sexta-feira, 26 de novembro de 2010

GASTRONOMIA ERÓTICA

Cena do filme Simplesmente Martha (Bella Martha, Alemanha/2001)
Segundo a escritora chilena, Isabel Allende, os afrodisíacos são a ponte entre a gula e a luxúria. Se o relacionamento anda morno ou sem muita criatividade, chegou a hora de esquentá-lo gastronomicamente. Dizem que os alimentos afrodisíacos são como as bruxas, ninguém acredita, mas existem. Hoje posto uma receitinha que segundo diz a lenda, teria sido criada numa cidade portuária italiana, quando marinheiros famintos, ao desembarcarem após meses navegando, dirigiram-se a um bordel. La chegando, a cozinheira do estabelecimento teria preparado uma massa com o molho mais afrodisíaco que a funcionária conhecia. Os ingredientes que compunham junto com a base de tomate eram a azeitona preta, anchovas, alcaparras, ervas frescas e pimenta.  Surgia então o

SPAGHETTI ALLA PUTTANESCA

Ingredientes:

250g de espaguete de grano duro
2 colheres (sopa) de azeite de oliva
1 e 1/2 xícara (chá) de molho de tomate de sua preferência
6 pequenas anchovas escorridas e lavadas
4 colheres (sopa) de azeitonas pretas picadinhas
2 colheres (sopa) de alcaparras escorridas
1 dente de alho espremido
Salsa, Manjericão e orégano fresco
Sal e pimenta calabresa a gosto

Modo de Preparo:

Cozinhe a massa em seu tempo. Enquanto isso, refogue o alho no azeite junto a anchova e acrescente as alcaparras, as azeitonas juntamente com a pimenta. Acrescente o molho de tomate, corrija o sal e deixe ferver por 5 minutos. Desligue o fogo, misture as ervas picadinhas. Escorra o macarrão, misture o molho. Sirva com vinho de sua preferência em ambiente prévia e romanticamente preparado. Bom prazer.

quinta-feira, 25 de novembro de 2010

COSTELA DE BOI DE PRIMEIRA

Costela cozida em forno quente

Por ser uma carne barata, muitas vezes a costela é classificada como produto de segunda qualidade. Puro engano. Corte mais do que nobre da carne bovina, a costela tem atraído uma legião de seguidores. Já usei aqui diversas vezes a definição do ilustre Wessel para dizer que existe boi de primeira e boi de segunda, assim a costela bovina é de primeiríssima como todas as outras do animal. Gosto de duas maneiras de se preparar este corte: assado ou cozido. Se você for cozinhar a costela faça como a receita abaixo e se for assar aprenda com churrasqueiro Bassi no video que segue abaixo da receita:

COSTELA MARINADA

Ingredientes:

1 costela de boi de primeira, quanto baste de cerveja, cebola e alho picados, alecrim, sal grosso e azeite de oliva.

Modo de Preparo:

Envolva a costela no tempero e deixe marinar por umas 12 horas. Retire da marinada, envolva a carne em papel celofane com um pouco da marinada dentro e leve para cozinhar em forno ou fogo alto, por umas 4 horas. Retire do papel celofane e perceba que o osso já se solta com facilidade. Retorne ao forno quente por mais 10 ou 15 minutos para corar a carne. As  guarnições são arroz branco e farofa feita com um pouco do molho que sobrou do cozimento.

quarta-feira, 24 de novembro de 2010

BUTIFARRA DA CATALUÑA

Butifarras Frescas - foto ig
Tenho por hábito fabricar alguns dos embutidos que gosto de consumir e não são fáceis de encontrar. A brincadeira começou quando adquiri um moedor de carne que trouxe junto acessórios para encher as tripas. Gosto muito de linguiça cuiabana e como aqui em Campinas tenho muita dificuldade para encontrá-la, passei eu mesmo a produzi-la. Assim, acabei acrescentando aos meus procedimentos culinários, o fabrico de linguiças e outros embutidos. Esta semana, passeando pela gastronomia catalã, me deparei com um embutido que não conhecia e que recebe o nome BUTIFARRA. Embutido de carne fresca e magra suína, acrescida de sal pimenta e algumas vezes condimentos e até mel. É originária da Catalunha, mas encontramos também na Costa Caraíba Colombiana e, mais próximo de nós, no vizinho Uruguai. A seguir ensino como fazer esta deliciosa linguiça, a minha moda é claro.

BUTIFARRA À LA PECO

Ingredientes:

1 kg de carne de lombo suíno magro
5 g de pimentra calabresa
10 g de sal fino
2 colheres de sopa de salsinha
1 colher de sopa de mel
2 dentes de alho espremidos
Tripa de porco (pode ser artificial - Casa do Açougueiro)
Barbante

Modo de Preparo:

Pique muito bem a carne com a ponta de uma faca afiadíssima. (eu costumo colocar 15% de toucinho). Junte todos os ingredientes e amasse muito bem com as mãos. Passe a máquina de carne e encha as tripas. Marque um palmo, torça e amarre. Leve para assar na churrasqueira ou grelha sem perfurar ou cortar. O pão é o acompanhante natural.

Moedor e Carne e Fábrica de Linguiça




terça-feira, 23 de novembro de 2010

OBRIGADO SENHOR

 

Para ser sincero tenho atravessado uma fase difícil na minha vida, mas quem não atravessa, né? Mas o engraçado é que justamente nesses momentos difícieis que diversas luzes acabam surgindo no fim do túnel e nos dando o alento que precisávamos para levantar, sacudir a poeira e dar a volta por cima. Desculpem-me pelo desabafo. Hoje só vou rezar e agradecer:

 Obrigado Senhor!

Para receitas santas, clique aqui.

segunda-feira, 22 de novembro de 2010

TRUFAS DE CHOCOLATE

Hoje resolvemos fazer trufas de chocolate. Pietra, minha filha, além de excelente aluna na escola, bailarina de destaque e mais recentemente amazona de futuro, tem se mostrado uma cozinheira de mão cheia. Óbvio que a incentivo, mas o dom e o gosto é dela própria. Aliás, doce não é o meu forte e alguém em casa terá que assumir essa tarefa, vez que amo comer um docinho. Então que seja a herdeira natural de meus dotes gastronômicos, afinal tem idade e muito talento para mostrar. Mas vamos ao que interessa, que são as trufas, ou melhor a receita da iguaria.


TRUFAS DE CHOCOLATE


Ingredientes:

1 kg de chocolate meio amargo
1/2 lata de creme de leite sem o soro
100g de manteiga sem sal em temperatura ambiente
3 colheres de sopa de licor de cacau ou chocolate
Chocolate em pó ou cacau para empanar (opcional)

Modo de Preparo:

Derreta metade do chocolate no microondas. Junte o creme de leite e mexa bem. Adicione a manteiga e o licor e torne a misturar. Leve à geladeira por 24 horas. Retire da geladeira, faça as bolinhas e devolva à geladeira por mais uma hora. Equanto isso, derreta o restante do chocolate, espere amornar e envolva as bolinhas no chocolate, se desejar, passe pelo chocolate em pó e retorne à geladeira por mais alguns instantes.



Em casa não usamos empanar as trufas com cacau ou chocolate em pó.



domingo, 21 de novembro de 2010

SAL DEFUMADO X SAL NEGRO DA ÍNDIA

sal defumado
No último feriadão estava dando uma passeada pelo blog do amigo Erney Feltrin, Cozinha Ousada e ele havia temperando um frango, entre outros temperos, com sal negro defumado. Eu conheço o sal negro e o defumado distintamente e fazia tempo que não ouvia falar de ambos. Conhecido como Kala Namak, o sal negro é originário da Índia e o seu gosto assemelha-se ao do ovo, ou melhor da gema do ovo, uma vez que é muito rico em enxofre. Sua utilização ideal é numa massa. Já o defumado, tem cor cinza-amarronzado, é originário da França e o seu sabor é obtido pela fumaça fria proveniente da queima de velhos barris de carvalho. Eu uso no churrasco para temperar meus cortes de carne. Quando for comprar, de preferência a flor de sal resultante de defumação com madeira e de coloração amarronzada natural, sem adição de óleo, aroma de fumaça e corantes. Quer saber mais sobre sal, clique aqui.



Sal negro

sábado, 20 de novembro de 2010

PAVÊ DE LIMÃO FÁCIL...MUITO FÁCIL


Foto: CyberCook

Esta semana encontrei um casal de amigos no clube que acompanham a minha carreira na gastronomia há muitos anos, e, ultimamente têm arriscado a pilotagem do fogão, muitas vezes atravéz de receitas retiradas do meu blog. Em particular, este mesmo casal me pediu uma receita fácil para uma sobremesa que contivesse limão. Aí vai a mais fácil que conheço e nem por isso menos saborosa.


PAVÊ DE LIMÃO

Ingredientes:

1 pacote de bicoito maisena
1 lata de leite condensado
1/2 caixa de creme de leite
1/2 xícara (chá) de suco de limão
1 colher (sopa) de raspas de limão

Modo de Preparo:

Misture bem o leite condensado com o limão. Junte o creme de leite e torne a misturar. Deixe descansar por 15 minutos. Tome então um pirex (de uns 25x25cm) e vá alternando camadas de biscoito e camadas finas do creme; Termine com o creme, polvilhe as raspas de limão e leve  geladeira por umas 6 horas.

sexta-feira, 19 de novembro de 2010

SANDUÍCHE DE FORNO


Para arrematar a nossa semana do sanduíche, hoje publico uma receitinha muito fácil de ser elaborada. Em casa sempre faz sucesso. Trata-se de um sanduíche-torta feito a base de pão de forma e mais alguns deliciosos ingredientes:

SANDUÍCHE DE FORNO

Ingredientes:

1 pão de forma sem casca
2 ovos
1 xícara (chá) de leite
2 colheres (sopa) de margarina
50g de queijo parmesão ralado
1 tomate em rodelas bem fina
1 cebola em fatias bem finas
250g de queijo missarela
250g de presunto sem a capa de gordura
Sal, pimenta, orégano, azeite e vinagre para temperar

Modo de Preparo:

No liquidificador, bata os ovos, o leite, a margarina e o queijo parmesão ralado. Unte um refratário médio e cubra o fundo as fatias de pão de forma. Coloque 1/3 da mistura, fatias de presunto e de queijo, fatias de tomate temperado com sal, pimenta, azeite e vinagre e fatias de cebola. Cubra com o restante do pão e por cima de tudo despeje o restante de mistura líquida. Polvilhe com parmesão ralado e leve ao forno quente pré-aquecido (200°C) para assar e gratinar.

quinta-feira, 18 de novembro de 2010

PÃO PITA


Já publiquei aqui no meu blog, matéria sobre os deliciosos kebabs. O pão pita ou árabe ou sírio, nos proporcionam deliciosos sanduiches.

O beirute é mais conhecido de todos nós, mas existem outras receitas onde este pão da arábias é empregado. Graças ao seu formato, chato e oco, permite-nos recheá-los com os mais variados alimentos. A receita de hoje é grega:


PITA DE SALADA GREGA

Ingredientes:

1 xícara (chá) de tomatinhos sweet cortados em rodelinhas
1 pimentão verde em cubinhos
1 cebola roxa picadinha
1/2 xícara (chá) de rabanetes em finas fatias
1/2 pepino com casca finamente fatiado
1/2 xícara (chá) de cheiro verde picadinho
1/2 xícara (chá) de parmesão em lasquinhas
3 colheres (sopa) de azeite de oliva
2 colheres (sopa) de vinagre de maçã
Sal a gosto

Modo de Preparo:

Misture bem todos os ingrediente, temperando com azeite, vinagre e sal. Preencha o pão sírio. Sirva.

quarta-feira, 17 de novembro de 2010

HAMBUGUER COM MOLHO DO BIG MAC

Esta semana estou dedicando as matérias do meu blog ao comedores de sanduíche de plantão. O hamburguer é campeão de vendas aqui em casa. Minha filhota Pietra não imaginava que existia uma carne muito mais gostosa que as dos fast foods. Para a receita do hamburguer caseiro, clique aqui. Abaixo, posto a receita do

MOLHO DO BIG MAC

Ingredientes:

1/4 de xícara de creme vegetal para chantilly (ou creme de leite bem magro).
1/4 de xícara de maionese
Foto: Uol
2 colheres de sopa de molho French
2 colheres de sopa de picles de pepino picado
1 colher de chá de açúcar
1 colher de chá de cebola em pó
1 colher de chá de vinagre branco
1 colher de chá de catchup
1 pitada de sal

Modo de Preparo:

Em um bol de vidro, misture muito bem todos os ingredientes e leve ao microondas por 25 segundos. Retire, mexa bem e leve ao refrigerador por pelo menos uma hora. Empregue no seu próximo hamburguer.

terça-feira, 16 de novembro de 2010

BAURU DO PONTO CHIC

Foto: Comendo São Paulo

Esta semana me empolguei com uma das iguarias de que mais gosto: o sanduíche. Sem qualquer dúvida, o sanduba mais famoso de Sampa reside no Largo do Paisandu, no tradicionalíssimo Bar Ponto Chic. Pão francês, fartamente recheado com rosbife caseiro de lagarto, 4 queijos derretidos no banho maria, fatias e tomate e pepino. Abaixo o video dos dois sanduíches mais famosos do buteco: o Bauru e o Rococó.



Ponto Chic

segunda-feira, 15 de novembro de 2010

BOCA DE ANJO


Já cansei de dizer aqui, que troco qualquer prato da alta gastronomia por um belo sanduíche. Hoje vou contar a história de como surgiu o corte "boca de anjo". Produto tipicamente Campineiro, foi criado na década de 60, pelo simpático Pedro Possante, então chapeiro de um tradicional buteco do centro da cidade. Segundo o próprio, nesta época os bares que até então eram frequentados apenas pelos homens, passaram a receber a visita do público feminino. Assim, para atender a necessidade das donzelas, o chapeiro passou a fatiar os sanduíches em pequeninos pedaços facilitando e tornando mais elegante a ingestão do pão. O primeiro sanduíche a receber este corte, tinha o nome de psicodelico. Hoje o Possante atende no seu próprio bar, situado na av. Barão de Itapura, 2964. Mas o sanduíche que mais gosto, foi criado na década de 50, no antigo Facca Bar e recebia o nome de "Sanduíche da Casa". Muito simples de fazer, posto a receitinha para os amigos e amigas.


SANDUÍCHE DA CASA DO FACCA BAR

Ingredientes:

Foto: Veja
1 pãp francês
Fatias de Pernil suíno
Aliche
Salsinha
Cebola
Azeite com vinagre
Fatias de queijo prato

Montagem:

Fatie o pão e retire o miolo. Misture muito bem o aliche, a salsa, a cebola e azeite com vinagre. Acomode as fatias de pernil, coloque o queijo (se quiser qeunte leve ao forno para esquentar). Junte a mistura de aliche. Corte "boca de anjo) e sirva com muito chopp gelado.

domingo, 14 de novembro de 2010

FILÉ À PARMEGIANA DE ITU


Sabe aquele filé à parmegiana do Bar do Alemão de Itu? Pois fique sabendo que não é difícil de ser feito. Minha esposa e filha adoram quando eu faço. O segredinho está no molho e na maneira como cortam os bifes. Para começar, pegue uma peça de filé mignon e corte três fatias no sentido do comprimento. Bata bem os bifes com o martelo de carne. Caso não tenha uma frigideira grande, corte-os ao meio.


FILÉ À PARMEGIANA


Ingredientes para o molho:

2 kg de tomates maduros
2 cenouras pequenas
4 cebolas
8 dentes de alho
1 lata pequena de extrato de tomate
4 folhas de louro
2 colheres de sopa de margarina
3 colheres de sopa de queijo parmesão ralado
Sal

Ingredientes para o filé:

6 bifes grossos de filé mignon ou uma peça aberta em manta
farinha de trigo
ovos
farinha de rosca
sal e pimenta do reino

Modo de Preparo do Molho:

Em uma panela, coloque os tomates, as cenouras, a cebola, o louro, o extrato de tomate e o sal. Cubra com água e ferva por 20 minutos. Desligue, retire as folhas de louro e deixe esfriar. Em seguida, bata no liquidificados. Na panela, refogue o alho na margarina, acrescente o molho e deixe apurar bem. No final do cozimneto, incorpore o queijo parmsão ralado.

Modo de Preparo dos Filés:

Tempere os filés com sal e pimenta, passe pela farinha de trigo, depois nos ovos batidos com sal e por fim na farinha de rosca. Certifique-se que a a crosta aderiu bem à carne. Frite em óleo quente e escorra-os em papel toalha.

Montagem:

Em um refratário, coloque um pouco do molho no fundo, acomode os filés, cubras com queijo mussarela, cubra com o olho, polvilhe parmesão e leve ao forno quente para aquecer. Sirva com arroz branco, batata frita e vinho tinto maduro.

sábado, 13 de novembro de 2010

LEITE CONDENSADO

Nos meus 48 anos de vida, nunca ouvi falar de alguém que não gostasse de leite condensado, principalmente do que tem a moça na lata, é imbativel. O produto é uma paixão mundial. Aqui no Brasil, chegou junto com a monarquia (clique aqui para conhecer a história). Eu não sou diferente e também adoro um docinho a base desta iguaria. Hoje posto uma receitinha muito fácil e doce que sempre faço para minha filha Pietra.


BICHO DE PÉ


Ingredientes para 30 unidades:

1 lata de leite condensado
1 caixinha de gelatina sabor morango
1 colher (sopa) de margarina
Açúcar refinado

Modo de Preparo:

Leve uma panela ao fogo com o leite condensado e a margarina. Mexa sem parar até ferver. Junte a gelatina em pó e continue mexendo até começar a soltar do fundo da panela. Desligue o fogo e aguarde esfriar. Depois de frio, faça bolinhas com as mãos untadas de margarina, passe pelo açúcar e coloque em forminhas de papel.

sexta-feira, 12 de novembro de 2010

BACALHAU À ZÉ DO PIPO

Foto: Falando de Vinho
Dizem e acredito que seja verdade, que os portugueses têm uma receita diferente de bacalhau por ano. Quando estivemos em  Lisboa, na terrinha, paramos num posto de gasolina bem na entrada da cidade. Era hora do almoço então resolvemos comer alguma coisinha para enganar o estômago. Qual não foi nossa surpresa, quando deparamos com um self-service à base de bacalhau. Não tive dúvida e ataquei na primeira forma de fast food portugûes, criado no século XVIII e a receita de que mais gosto. Quer saber a história deste prato, clique aqui.

BACALHAU À ZÉ DO PIPO

Ingredientes para 4 pessoas:

4 postas de 200g cada uma de bacalhau demolhado, sem pele e espinhas
1 litro de leite integral
2 cebolas picadidas
4 colheres de sopa de azeite
1 folha de louro
Quanto baste de purê de batatas
Quanto baste de maionese
Quanto baste de azeitonas portuguesas
Sal, se necessário
Pimenta do reino branca moída na hora

Modo de Preparo:

Cozinhe o bacalhau no leite por exatos 10 minutos. Frite a cebola no azeite com o louro e um pouquinho do leite. Corrija o sal e a pimenta. Em um refratário cubra o fundo o purê. Deite as postas escorridas de bacalhau, cubra com a cebola. Por cima de tudo cubra com a maionese e leve ao forno quente para gratinar. Retire do forno decore com as azeitonas portuguesas.

quinta-feira, 11 de novembro de 2010

FRITADA OU OMELETE?


Foto: Blog Temperarte
Noutro dia me perguntaram qual a diferença entre uma fritada e uma omelete. Na verdade o que elas tem em comum são os ovos. Daí para frente cada qual possui o seu modo característico de preparo. Os recheios geralmente servem para os dois casos, a diferença é que na fritada ele é incorporado aos ovos batidos e muitas vezes tem a sua finalização ou mesmo confecção no forno. Já na omelete, o recheio é adicionado em partes, pouco antes de se fazer a dobra. Aqui vale uma dica para deixar a sua próxima omelete bem mais airada e fofa: bata separadamente as claras e as gemas e só depois as una. A seguir a receita de fritada do que sobrou na geladeira (essa é uma das vantagens deste prato rápido e fácil).

FRITADA DE SALDÃO

Ingredientes para 2 pessoas:

4 ovos
1 xícara (chá) de sobras de frango assado, desossado e picado
1 cebola picada
1 dente de alho espremido
1 tomate em cubunhos
2 colheres (sopa) de queijo parmesão ralado
2 colheres (sopa) cheiro verde
1 pitada de orégano
1 pitada de sal e outra de pimenta
Azeite ou óleo para fritar

Modo de Preparo:

Bata os ovos e misture todos os ingredientes. Leve um frigideira larga ao fogo, aqueça o azeite, despeje todos os ingredinetes. Vá mexendo até conseguir virar. Eu tenho uma omeleteira, é bem mais fácil se você for marinheiro (a) de primeira viagem. Degustamos com maionese e suco de caju.

quarta-feira, 10 de novembro de 2010

CHURRASCO: COISA NOSSA.

Bife de Ancho
O churrasco é coisa nossa. Pelo menos aqui no sudeste e no sul do Brasil. Lamentavelmente o preço da carne disparou e foi parar nas nuvens. Assim, comunico aos amigos que aceitei a proposta do maior entendedor de carne do país, István Wessel, e também proclamei a independência da picanha. Como todos nós somos exímios churrasqueiros, sempre encontramos opções para resolver este probleme. Segundo Wessel, a picanha representa apenas 1% do boi e por isso mesmo o seu preço ser mais caro. Todas os outros cortes são 20 a 30% mais em conta. A dica vai para a Fraudinha e o Baby Beef, carnes magras e ideais para o churrasco. Outra dica, Bife de Ancho e o de Chorizo. Para as carnes da primeira dica aconselha-se a passar azeite antes de salgá-las. Para a segunda, cortar em postas de 5 cm. Acompanha salada de rúcula com palmito, farinha de mandioca torrada, maionese de legumes com frango ou atum, cuja minha receita publico abaixo e, lógico cerveja ou chopps geladíssimos.



MAIONESE DO PECO

Ingredientes:

2 kg de batatas cozidas ao dente
2 ceouras em cubinhos leve mente cozidas
250g de ervilhas congeladas escaldadas em água e sal
1 pimentão vermelho pequeno em cubinhos
1 cebola escaldada e em cubinhos
4 ovos cozidos
12 azeitonas verdes sem caroços e picadinha
1 maço pequeno de cheiro verde picadinho
1/2 xícara de chá de aipo (salsão)
1/2 kg de peito de frango ou peru ou atum desfiados
1/2 kg de maionese de sua preferência
Foto: Massa on line
1 caixinha de creme de leite
1 colher de chá de dill
1 colher de chá de orégano
1 colher de sopa de mostarda
Sal, pimenta e batata palha.

Modo de Preparo:

Misture a maionese, o creme de leite as gemas dos ovos, com as ervas. Em uma bacia, misture o creme obtido com todos os demais ingredintes. Polvilhe batata palha por cima.


segunda-feira, 8 de novembro de 2010

AGARRADINHO PAULISTA

Gravação Terra da Gente - Solar da Andorinhas

Vai passando o tempo, muito rápido por sinal, e acabo me esquecendo de receitas deliciosas. No domingo estava organizando umas fotos no meu computador e acabei encontrando as tiradas em uma gravação do programa Terra da Gente - EPTV/GLOBO, acredito que há uns cinco anos atrás. Trata-se do Agarradinho Paulista, receita fácil, diferente e bem original, é feita com frando recheado e empanado, servido com purê de banada. Para a receita, clique aqui.

domingo, 7 de novembro de 2010

SARDINHA ESCABECHE

escabeche

Nesta semana, enquanto passeava pelo delicioso blog do amigo Erney Feltrin, Cozinha Ousada, deparei-me com uma iguaria que simplesmente adoro: a sardinha. O peixinho me fez lembrar uma receita lusitana que minha avó preparava para comermos com pão: o escabeche de sardinha. A seguir posto a maneira de fazer, muito simples, fácil e rápida. É um ótimo aperitivo, assim sirva com pão, torradinhas e uma cerveja bem gelada, pois com esse calor nem ouso indicar vinho.


SARDINHA ESCABECHE

Ingredientes:

1 kg de sardinhas limpas e espalmadas (com as espenhas)
1 xícara (chá) de vinagre de maçã
1 xícara (chá) de azeite de oliva
2 cebolas em rodelas finíssimas
2 tomates em rodelas finíssimas
1/2 pimentão vermelho em fatias finas
1/2 pimentão verde em fatias finas
3 dentes de alho em lâminas
1 xícara (chá) de azeitonas portuguesas sem caroço
3 folhas de louro
sal, pimenta e cheiro verde a gosto

Modo de Preparo:

Tempere a sardinha com sal, pimenta e alho e deixa marinar por 30 minutos. Tome uma panela de pressão e monte camadas, iniciando com a cebola, depois a sardinha, depois o tomate, pimentões. Termine com o louro, o cheiro verde e as azeitos. Adicione o vinagre e o azeite de oliva, tampe a panela e leve ao fogo (baixo) 20 minutos após começar a chiar. Desligue o fogo e e deixe esfriar completamente. Sirva em temperatura ambiente com uma cerveja gelada.

sábado, 6 de novembro de 2010

PANNEKOEKA


Foto: Pietra

Todos os anos eu e minha mulher, levamos nossa filha Pietra para visitar a Expoflora, na simpática cidade de Holambra/SP, pois a baixinha adora o evento das flores. Eu confesso que não morro de amores pela festa, mas sempre acabo encontrando alguma novidade gastronômica. Nesta edição foi o pannekoeka, tradicional prato da cozinha holandesa que consiste em uma panqueca aberta com o recheio incorporado à massa e levado ao forno para gratinar com queijo gouda. Na citada feira, o visitante tinha acesso ao fabrico da iguaria, vez que a cozinha do restaurante que as preparava era todo envidraçado.

PANNEKOEKA

Ingredientes:

Para a massa:

Foto: Campinas.com.br
1/2 kg de farinha de trigo
1 litro de leite integral
1 coher (chá) de fermento químico
1 colher (chá) de sal
2 ovos

Para o recheio:

Fatias de presunto cozido
Fatias de bacon
Fatias de cebola
Fatias de queijo Gouda
Fatias de champion

Modo de Preparo:

Em um bol, peneire a farinha, o fermento e o sal. Junte o leite aos poucos sem parar de mexer. Junte os ovos, miture bem e leve ao liquidificador. Bata por apenas 1 minuto. Deixe descabsar por 10 minutos na geladeira. Em uma frigideira, frite o presento com bacon, a cebola e o champion. Junte uma concha de massa e frite dos dois lados. Cubra com o queijo e leve para gratinar.

Foto divulgação


sexta-feira, 5 de novembro de 2010

MOQUECA CAPIXABA

Foto: Culinária Útil

Quem já foi ao Espírito Santo já provou e quem não foi já ouvir falar e até já comeu a famosa moqueca capixaba. Neste mês de novembro acontece o Festival Panela de Barro, o maior evento gastronômico capixaba. São receitas inéditas criadas especialmente pelas mais respeitadas cozinhas do Espírito Santo, mas a atração principal continua sendo a legítima moqueca, de preferência degustada no Restaurante Moqueca do Garcia, estabelecido desde a década de 60.

MOQUECA CAPIXABA

Antes de iniciar a preparação da receita, você precisa adquirir uma Panela de Barro, das Paneleiras de Goiabeiras, em Vitória-ES, considerada uma das raízes da cultura local. Depois disso, vamos aos ingredientes e ao modo de preparo:

Ingredientes:

1kg de paixe rígido (robalo, namorado, etc) em postas de 5cm
1 maço de coentro largo (Erryngium Foetidum), responsável pelo sabor único e infelismente só encontrado no Espírito Santo e Bahia. Pode ser o coentro normal.
1 maço de cebolinha
1 cebola
5 dentes de alho
5 tomates
Urucum
Azeite de Oliva
Pimenta malagueta
Óleo

Modo de Preparo:

Lave as postas de peixe com limão galego e reserve-o em um prato com água de sal não muito forte. Em um pilão, soque o alho, 4 fatias de cebola, um tanto de coentro, outro de cebolinha e o sal. Unte o fundo da panela de barro com duas colheres de óleo e uma de azeite. Passe a pasta obtida no pilão no fundo da panela. Retire o peixe da água e passe as postas dos dois lados no fundo da panela. Cubra o fundo com o peixe, de modo que não se sobreponham. Pique o resto do coentro, da cebolinha, a cebola e o tomate e, nesta ordem, disponha sobre o peixe. Regue com azeite e suco de limão. Deixe repousar por 30 minutos. Enquanto isso, derreta um pouco de urucum em 3 colheres de sopa de azeite de oliva. Despeje esse óleo sobre a moqueca, corrija o sal e a pimenta e leve ao fogo por 25 minutos. Atenção: não junte água, não vire as postas, mas apenas sacuda a panela para o peixe não grudar no fundo. Se quizer no início do preparo forre a panela com tomates. Sirva com arroz branco, pirão de peixe e pimenta do seu agrado. Uma caipirinha antes vai bem. Durante, uma cerveja geladíssima.

quinta-feira, 4 de novembro de 2010

PÃO DE ABÓBORA


Abóbora com carne seca. Jerimum com jabá. Moranga com charque. Tudo quer dizer exatamente a mesma coisa, dependendo apenas da região brasileira que você se encontra. Trata-se de uma combinação perfeita que é apreciada no Brasil inteirinho. A seguir, publico uma receita de pão que vi aqui pela rede mesmo, muito fácil de fazer e que é ideal para acompanhar a sua próxima receita de carne seca:




PÃO DE ABÓBORA


Ingredientes:

1/2 kg de farinha de trigo peneirado
4 colheres (sopa) de leite morno
2 tabletes de fermento biológico
1/2 kg de abóbora-moranga sem casca e sementes cozida no micro-ondas por 20 minutos
8 colheres (sopa) açúcar
8 colheres (sopa) de azeite
5 gemas
2 colheres (chá) de sal

Modo de Preparo:

Bata na batedeira 1 xícara de chá de farinha, o leite, o fermento e o açucar. Reserve descansando a massa por 1/2 hora. Depois desse tempo, junte a abóbora, as gemas, o sal, 7 colheres de sopa de azeite e bata por mais 2 minutos para incorporar bem. Junte o restante da farinha e bata até obter uma mistura homogênea. Tome uma forma de bolo ou  de pão, unte-a com azeite e coloque a massa. Espere crescer por 20 minutos. Leve ao forno médio (180°C) por aproximadamente 30 ou 35 minutos.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...